terça-feira, junho 06, 2006

Relações

As relações entre 2 pessoas, sobretudo aquelas que duram "até que a morte os separe", para mim, passam sempre pelas mesmas fases. Começam, crescem, evoluem, e terminam sempre de forma igual.

Uma relação, começa com a Fase do Interesse. Sendo irrelevante qual dos lados começa (isto falando duma relação mais tradicional macho-fêmea), a Fase do Interesse é sempre o inicio da relação. Um dos parceiros, e seja porque motivo fôr (presumo que o maior seja de natureza sexual), ganha um interesse no outro, e faz uma abordagem na qual vai aprofundar o conhecimento e verificar se o interesse se manifesta ou se por sua vez, se dissipa.

Não é necessário que os 2 parceiros sejam desconhecidos nesta fase. Muitas vezes já se conhecem, mas o tal interesse surge, e então dá-se o inicio da fase, pois o lado interessado começa a levar as coisas num rumo novo.

Assim que a Fase do Interesse resulta (o interesse cresce e manifesta-se nos 2 lados) entramos na Fase da Paixão. Esta fase também se pode chamar de Fase do Encantamento, eu aliás prefiro este nome. Paixão pq é quando ficamos loucamente apaixonados, e por estarmos apaixonados andamos encantados. Tudo no outro é belo, gostamos de tudo, não vemos defeitos. É tb nesta fase que se começa a ganhar intimidade sexual. Sexo já podia haver desde a Fase do Interesse ou mesmo previamente, mas intimidade na cama ou no acto, é outra coisa. É quando associado ao prazer carnal do acto, aparece o prazer sentimental de se estar a partilhar o gesto com aquele parceiro.

E conforme o amor cresce e a intimidade, a Fase do Encantamento, passa sorrateiramente para a Fase da Dependência Física. Nesta fase é quando ficamos agarradinhos ao outro. Certo que isso parece já acontecer na Fase do Encantamento, mas na realidade a Fase da Dependência Física é pior. Durante esta fase não conseguimos estar sem o parceiro. Precisamos do contacto fisico a toda a hora e instante. Os parceiros saem sempre juntos, nesta altura não existem 2 individuos, já que os 2 parecem ser só 1. É uma das fases piores para os amigos do casal. Eles normalmente nesta altura são insuportaveis, sempre agarradinhos, sempre aos beijinhos, sempre a mandar toques e mensagens no telemóvel quando é fisicamente impossível estar um com o outro.

Depois vem a Fase da Dependência Psicologica. O nome é parecido à fase anterior, mas de modo algum são semelhantes. Nesta fase o casal encontra uma maturidade e já consegue estar alguns minutos, horas, até mesmo dias sem a presença física do parceiro. Agora já nao é preciso estar fisicamente com o outro. Até mesmo no que toca aos prazeres da carne, já não existe aquela "fome" ou "sede" de estar sempre no mesmo. O que sucede nesta fase, é que um parceiro precisa do outro para partilhar tudo o que é importante na sua vida. Algum problema a nível profissional e temos que partilhar com o parceiro. Dar um passeio sem o parceiro pra partilhar as imagens, os odores, os sons, juntos, não tem valor. Mesmo quando vamos fazer qualquer coisa pra nós, pensamos quase sempre no outro, se ele aprovará ou não o que vamos fazer. É a Dependência Psicologica...

Só um pequeno comentário, é nesta fase que eu estou agora, na minha relação.

A Fase da Dependência Psicologica é a mais duradoura das fases apresentadas até agora. Pode durar bastante tempo, mas mais cedo ou mais tarde, aparece a Fase dos Filhos. O casal a uma determinada altura, chega à conclusão que precisa de algo mais na relação. Decidem ter filhos, e depois de uma pequena mini-fase da procriação, eis que os filhos nascem, e entra-se numa vida completamente diferente. Agora já não existe o parceiro. Agora só existem os filhos. Tudo o que se faz é para eles, e por eles. Nesta fase acaba o marido e a esposa, e nasce o termo, mãe e pai. Termo esse que será usado praticamente até ao fim da relação. Normalmente nesta fase, o parceiro não se preocupa com o bem estar do outro. A unica coisa que interessa é os filhos. Na maioria dos casos é a mãe que negligencia o pai, que rebate qualquer tentativa pra voltar a uma fase anterior, com frases do género: "Olha os miudos"; "Não podemos por causa das aulas dos miudos", etc...

E quanto tempo dura a Fase dos Filhos? Dura até o ultimo filho sair de casa para estudar fora, ou tiver idade suficiente pra passar pouco tempo em casa. Nessa altura entra-se na Fase das Desavenças. Depois de anos a fio a viver por e para os filhos, eis que eles já não precisam do pais, e o casal não sabe o que fazer! Passou bastante tempo desde qualquer uma das fases anteriores à Fase dos Filhos, e o casal já não sabe como viver juntos, sem ter os filhos como centro da vida. Começam as desanvenças. Refila-se por tudo e por nada. Nesta altura dá-se o oposto do que acontecia na Fase do Encantamento. Agora tudo no outro é razão pra desagrado, e qualquer coisa que um faça serve de desculpa pra mais uma discussão. Como é possível aguentar uma fase destas? Porque volta e meia volta um "cheiro" das fases anteriores: as férias trazem memórias da Fase da Dependência Psicologica; volta e meia os filhos precisam novamente dos pais, e volta a familiar e confortante Fase dos Filhos. E assim os anos vão passando...

Se o casal resistiu a todas as fases até agora, chega-se à fase final da relação. A Fase da Necessidade. Nesta altura o casal está junto e nem pensa em separação porque precisam um do outro. Ou pq precisam pra ajudar a tratar das enfermidades, ou pq precisam um do outro pra não estarem sós. É que niguem gosta de envelhecer e morrer sozinho...

1 comentário:

  1. Sim senhora, gostei de ler, achei interessante esse teu ponto de vista.
    No entanto, e não querendo ser desmancha prazeres, vou expor um outro ponto de vista que ouvi há uns tempos atrás no rádio, “A Química do Amor”.
    Fiz uma busca na net e encontrei este documento (in http://www.spq.pt/ 07.Jun.2006), que embora não seja a entrevista propriamente dita, descreve de uma forma sucinta o que lá foi dito.
    Basicamente, há uma explicação química para a paixão e para as várias fases de uma relação. Até para a traição e coleccionadores de relações há explicações. A explicação para este último consiste no vício de um indivíduo por uma hormona, auto produzida, na fase do “encantamento”, para usar as expressões do Bakano. Assim esse indivíduo anda de relação em relação para colmatar o seu vício.
    Eu vou optar pela versão mais romântica e pensar que existe alguma magia neste processo todo...

    ResponderEliminar

Opina à tua vontade