sexta-feira, maio 19, 2006

Bateu por trás

Qq coisa entre as 17:45 e as 18:00, ia eu na Oxford Road aqui em Reading, no sentido Oeste, na minha busca por uma loja de peças e acessórios para motas e motards. Seguia devagar, pois a Oxford Road, assim como muitas outras ruas principais de Reading a esta hora, comportava uma grande quantidade de tráfego rodoviário.

Seguindo devagar atrás de um jipe, paramos num semáforo vermelho, mesmo antes da Reading West Station (estação de comboio secundáriade Reading), qd de repente
......PUM......
levo uma sacudidela e penso pra comigo ao mesmo tempo que instintavamente (e felizmente) pisava o travao: "Foda-se! Que caralho de merda?!?!?"
Sim, tinham-me batido por trás. Um Renault Laguna (1ª série, 2ª fase) vermelho, conduzido por um individuo que vim a saber mais tarde ser de raça africana, e doravante designado por O Preto, "esqueceu-se" que ia numa fila e não travou!

Começo logo a pensar: "Brincadeira do caralho! Estou bem tramado com isto agora, estrangeiro com carro alugado e sem franquia zero. Foi o gajo que bateu, mas como é que um gajo faz aqui neste país?"

Saí do carro e O Preto (mesmo africanao, falava mal e tudo) tb, e ele começou logo a dizer que precisávamos tirar dali os carros que estavam a estorvar e começou a dizer que me ia dar o nome e os dados dele e do carro e que eu precisava de lhe dar os meus. Eu disse logo que era estrangeiro, o carro era alugado, e como é que a gente fazia.

Bem, pra não estar aqui a encher com o paleio intermédio que existiu entretanto, resumo a coisa. Atão aqui na Inglaterra funciona assim: os condutores trocam os dados pessoais e do carro. O Preto disse-me que aqui as seguradoras só precisam da matricula do nome e morada do condutor/dono pra resolverem as coisas, e como ele tinha batido por trás, a culpa era dele, a seguradora dele pagava ambos os danos. No entanto ele insistiu que precisava de ter os meus dados e consultar a minha seguradora, para que a seguradora dele pagasse tb o arranjo do carro dele!

Eu estava ali um bocado desconfiado, pq a gente sabe o que acontece aí, até mesmo com Declarações Amigaveis bem preenchidas por ambas as partes, às vezes corre mal. Mas passado uns 5 minutos se tanto, apareceu um policia, que devia estar de passagem e parou, que se limitou a perguntar se estavamos bem, e qd viu que estavamos a trocar os dados, disse que estava tudo bem e foi embora. Obivamente que eu perguntei se era só preciso isto, e ele disse que sim que estava tudo certo. Nem pediu papeis, nem viu seguros, nem mandou arrumar os carros, nem mediu alcool...
Parece que por aqui por defeito tomam-se as pessoas como seres civilizados, que podem resolver as coisas calmamente entre si...

E pronto depois de trocarmos os dados, limitei-me a dizer aO Preto pra ter cuidado porque a ventoínha do radiador parecia estar afectada, e lá arrancamos os 2.

O Peugeot 307, que conduzo agora até á proxima semana, apenas apresenta umas mossas e riscos no para-choques traseiro, apesar da mossa por baixo da placa da matricula ser "grandita".
O Laguna dO Preto ficou com a pior parte do bolo: partiu os farois; o para-choques da frente ficou com algumas partes partidas e tinha uma grande mossa no capot, sobretudo na zona onde esta o losango da Renault.

Acabei por prosseguir a minha busca pela loja, que só depois de 2 voltas encontrei e afinal é muito pequena e não tem o aspecto de loja boa como referido na net por alguns motards em fóruns, e qd voltei pra casa, fui ler o manual da AVIS a ver o que eles diziam pra fazer em caso de acidente (onde fiquei a saber que só devemos/podemos chamar a policia em caso de feridos) e acabei por lhes ligar pra relatar o sucedido. Eles não pareceram muito preocupados, apenas dizeram que se eu quisesse podia ir trocar o carro, e pra depois nessa altura ou qd o entregar preencho um relatório do acidente e deixo-lhes os dados que O Preto me deu. Vou manter o carro nem que seja pra mostrar as feridas de combate ao pessoal no próximo fim-de-semana.

Tempos variaveis

Não sei se já repararam mas nós temos o costume de usar, aquilo a que eu chamo de Unidades de Tempo Variavel.
Usamos no dia-a-dia. Não estão a perceber? E se eu vos dizer quais são as 2 mais comuns unidades de tempo variavel?
"5 minutos" e "2 segundos".
Nao é verdade que as usamos constantemente? E são variaveis. Ora vejam as minhas definições:


5 minutos - Unidade de Tempo Variavel, de extrema versatibilidade. Varia entre o pouco tempo, o algum tempo e até mesmo o muito tempo. Muito poucas vezes usada qd realmente se pretende referir 5 minutos exactos. O intervalo de tempo mais comum é entre o 1 minuto e até mesmo 2 horas.
Exemplos:

- "Vou ali à casa de banho. É só 5 minutos."
(Na realidade demorará 2)

- "Vamos almocar que está na hora."
- "Deixa-me só aqui acabar de mandar um mail; são 5 minutos"
(Na realidade serão 15)

- "É preciso escrever uma carta ao director, podes-me fazer isso?"
- "Claro, faço isso em 5 minutos"
(Na realidade 2 horas depois a carta ainda nem sequer começou a ser escrita!)


2 segundos - Unidade de Tempo Variavel com intervalos bem definidos. Usada para indicar pouco tempo, mas de duração indefinida. Varia normalmente entre os 2 minutos e os 10.
Exemplos:

- "Oh João, vamos embora!"
- "Tou ao telefone. Pera 2 segundos"
(vai demorar 5 minutos pra dar os beijinhos todos à namorada)

- "Tens lume?"
- "Deixa-me ver, só 2 segundos"
(passados 2 minutos lá encontra o isqueiro num dos bolsos do casaco)


Uma utilização comum das UTV, é qd as usamos pra dar a entender que vamos demorar algum tempo a atender ao pedido qd na realidade queremos é que a pessoas vão pedir a outro.
Exemplos:

- "Bruno arranja-me uma pastilha?"
- "Eh pá, deixa-me ver, dá-me 2 segundos"
(E fingimos tar a procura pra ver se a pessoa entretanto pede ao colega do lado)

- "Pedro por acaso tens 5 euros que me emprestes?"
- "Deixa-me acabar aqui uma coisa. Espera 5 minutos e já vejo isso"
(E fingimos estar muito concentrados nalguma coisa enquanto esperamos que ele desista e se vá embora)

Obviamente, como nem toda a gente "estuda" bem a lição, é usual vermos os 2 termos confundidos, e dizer-se coisas como "Espera 2 minutos" ou "Da-me só 5 segundos"
São estas coisas que vao degradando aos poucos a cultura de um povo!

quarta-feira, maio 17, 2006

Fantástico!

SLB! SLB! SLB, SLB, SLB!
GLORIOSO!
SLB!
GLORIOSO, SLB!

.
.
.
.
Pq me apeteceu...

segunda-feira, maio 15, 2006

Zur Eroberung von Deutschland

Hoje é o dia em que o Mister Scolari vai anunciar os convocados para o Mundial 2006.

Todos sabemos a importância do futebol, na sociedade ocidental, sobretudo em regiões como a Europa, a America Latina e até mesmo Africa. É, digam o que disserem, o desporto que mais massas atrai, e o Campeonato do Mundo de Futebol Associativo (é esse o nome correcto do nosso futebol, há muitos outros até o Rugby e' chamado de futebol nas enciclopédias!) é o segundo maior evento televisivo do mundo, logo depois dos Jogos Olímpicos e à frente de, veja-se bem, a final da Champions League da UEFA!

Voltando ao futebol. Pois hoje é o dia em que vamos conhecer os 23 eleitos para irem ao Mundial defenderem as cores da camisola, hoje em dia confundindo-se com as cores de Portugal, tal é a esperança posta no futebol, parece que vamos combater pelo país e tal...

Estou afastado daí de Portugal, não sei como estará o estado de espírito da "populaça", em relação a Selecção e ao Mundial. Eu acho que o pessoal está esperançado e que as expectativas são muitas. Aliás o próprio Scolari estabeleceu uma fasquía mínima: a ida aos quartos-de-final. Não sei se ele entretanto mudou de opinião ou de afirmação (tb não seria de admirar se o fez) mas lembro-me perfeitamente de ele ter bradado aos ceus: "Quero estar entre as 8 melhores selecções do mundo".

A ideia que eu tinha antes de vir pra cá, era que o povo em geral, a maioria melhor dizendo, está esperançado em chegar à final, e jogar com o escrete, vulgo Brasil. Perder com o Brasil na final já seria uma festa na mesma. Não pra mim, mas isso são outros contos...

Estive este fds passado, este que passou portantos, em França, junto com os meus pais a descansar, e descobri que o sentimento geral dos franceses lá em relação à sua selecção e o Mundial é de que não vai dar em grande coisa. Diz-se por aí que os franceses "não são muito da bola" como outros "gajos" de outros paises. Eu acho que eles sao é bem espertos em relação à bola! Sabem o que aconteceu no último Mundial em que entraram como os Campeões Mundias e Europeus em titulo e sairam ao fim de uma semana, sem um golo marcado sequer e só com 1 ponto amealhado!
Além do mais a selecção gaulesa parece ser a "mesma do costume", que não tem trazido grandes glórias pra aquelas bandas ultimamente. Por isso por lá ja se fala que o Mundial só dura 1 semana.
Se alguém diz que a selecção joga mal, alguém responde que "não tem mal é só durante 1 semana". Se alguém diz que o Mundial é mau para a Economia, pq o pessoal quer é ver jogos e não trabalha, alguem responde "não tem mal é só durante 1 semana".
Se por acaso a França aguentar a primeira semana, ja é uma festa, é mais do que o esperado (por parte da "populaça" em geral).

Mas e aí? Como acham que o pessoal vai ficar se Portugal vier embora pra casa no fim da primeira semana, como aconteceu no Coreia-Japão? Até mesmo se for eliminado logo a seguir?
Pois é , eu acho que vai ser foda pró Mister Scolari.
O que vale é como ele vai depois ser anunciado como o novo treinador do Benfica, o pessoal depressa esquece o desaire e fica a sonhar com os títulos que ele irá trazer ao GLORIOSO!
Sim, digo o pessoal pq os do FC Porto ja não queriam o Scolari como seleccionador (ai o Vitor Baia), os do SL Benfica depressa sonham com novas glórias e tão depressa esquecem o passado, e os do Sporting CP... bem, os do Sporting não contam pra nada...

Nota 1: Se querem saber o título desta dissertação, recorram a um tradutor online e traduzam de Alemão pra Inglês ou Português. Espero que saia um título com nexo! Quem souber alemão, obviamente não precisa de tradutor, mas quem é que teve a coragem de ir aprender essa ... lingua?

Nota 2: A escolha da foto não é de todo casual. Aparecem 2 jogadores que jogam lá fora, para não ser tendencioso. Uma estrela da velha guarda (que já nem vai ao Mundial) e o outro provavelmente a melhor jovem estrela da Europa.

Nota 3: Sim, a foto pretende salvaguardar tendências clubísticas, mas o último parágrafo não deixa duvidas quanto às minhas tendências clubísticas. As diferenças de tamanho nos nomes dos clubes, também não é de todo casual.

quarta-feira, maio 10, 2006

"Semitismos" - Uma dissertação sobre somiticos e semitas

Aqui ao meu lado no escritório, mas prestes a ir-se embora, senta-se um indivíduo de raça judaica, que revela a sua verdadeira natureza semitica e somitica.
Há quem pense que as 2 coisas são o mesmo, e numa análise mais profunda da morfologia dos 2 adjectivos eu tb concluí que mesmo não sendo sinónimos, quererão dizer as 2, praticamente a mesma coisa.

Sem duvida que figuradamente, podemos usar uma ao invés de outra. Dizer que um indivíduo é semitico, quando queremos dizer que ele é somitico, resulta numa curiosa figura de estilo, mas temos que usar com algum cuidado pois podemos cair no campo da xenofobia, e isso é outro assunto sobre o qual noutro dia dissertarei...

Voltando ao semitico VS somitico.
Diz-nos a Porto Editora, que semitico é "relativo ou pertencente aos Semitas", e os Semitas são a "raça oriunda de Sem, filho de Noé", o que quer dizer que os semitas são o "povo oriundo da Ásia que, etnográfica e linguísticamente, engloba os Hebreus, os Assírios, os Aramaicos, os Fenícios e os Árabes".

Portanto semitico nada tem a ver com somitico, que, e de acordo com a mesma Porto Editora, é um "indivíduo excessivamente apegado ao dinheiro; indivíduo avarento", ou no caso da utilização como adjectivo significa "que revela avareza; mesquinho; forreta; sovina"

Ou seja, olhando pras definições no diccionário da Lingua Portuguesa, claramente verificamos que são 2 termos distintos. Então pq disse eu no início que em ultima instância e figuradamente são quase a mesma coisa?
Por 2 razões. Primeiro, pq somitico deriva do latim semiticu que quer dizer "judeu;avarento"; e segundo pq uma das características associadas aos Judeus (um dos povos semitas) é a sua grande avareza, daí mesmo os romanos usarem a mesma palavra pras 2 coisas!

Mas... Esperem aí... Tem aqui uma cena curiosa! Atão não é que a definição de semita diz "povo oriundo da Ásia que, etnográfica e linguísticamente, engloba os Hebreus, os Assírios, os Aramaicos, os Fenícios e os Árabes"?
Sim, eu vi bem! Hebreus e Árabes! São ambos semitas...
Os Árabes são muitas vezes acusados de serem anti-semitas, mas eles próprios são semitas! E os judeus? Queixam-se tanto dos anti-semitas e eles próprios tb o são, pois são contra os árabes!
Bem, a verdade é que o termo "puro" de anti-semita com o tempo acabou por querer dizer quase exclusivamente anti-judeu, por isso percebe-se esta estranha confusão nos anti-semitismos.
Mas o próprio ódio, ou melhor, a própria divisão entre Judeus e Árabes não é de estranhar, pq eles são todos primos uns dos outros.
Pra quem não sabe, a Bíblia, na sua versão Antigo Testamento, conta que Abraão teve 2 filhos: Isaac, pai do povo Hebraico; e Ishmael, pai do povo Árabe. E como já disse antes, são descentes de Sem, filho mais velho de Noé (embora algumas teorias afirmam que era o segundo filho), daí serem todos Semitas.
É curioso como etnograficamente e religiosamente, são todos muito "similares". Tal como disse, são todos primos, por isso é que não se entendem, são muito parecidos...
Bem, uma coisa que eu não quero fazer é confundir raças ou etnias com religião. Nem sempre uma coisa é outra, e nós às vezes cometemos o erro de misturar tudo no mesmo saco.

Tenho mais tarde que fazer uma dissertação sobre as 3 maiores religiões de Abraão (existe ainda uma quarta).

Back to the beggining; eu não curto muito o judeu que se vai embora. É assim meio para o "ranhoso", mas por acaso tenho de agradecer o seu feiteio, pois as coisas que faz e que diz, acabaram por me dar material para uma (ou mais) dissertação(ões).

Barbeiros & Restaurantes

Reza a lenda, que pelos meados do seculo 19, existia um barbeiro chamado Sweeney Todd, que cortava a cabeca dos seus clientes e depois, junto com os amigos, faziam umas meat pies, em portugues empadas de carne, que comiam e serviam a outros clientes.

E' uma personagem de ficcao, criada por Thomas Phrest, e que apareceu pela primeira vez num conto de horror chamado The People's Periodical, datado de 21 de Novembro de 1846, mas pelos vistos tornou-se muito popular e ganhou o titulo de lenda antiga.

Bem, na proxima quinta-feira, amanha portanto, vou a um jantar de despedida de um pessoa aqui da NEC que foi dispensada, um termo galante pra dizer despedida. E o jantar sera' num restaurante denominado Sweeney's, abreviatura do nome oficial Sweeney & Todd. E pq e' que o restaurante herda o nome do perverso barbeiro canibal? Pq fica ao lado de uma barbearia.

Pelo sim, pelo nao, nao vou pedir nenhuma meat pie, se calhar o melhor e' pedir peixe, ou pelo menos uma carne branca pra que nao me calha os restos de algum cliente da barbearia...

Nota do autor: Neste post poderao reparar a falta de acentuacao e a substituicao do acento agudo por pelicas nalgumas palavras. Isso deve-se a estar a escrever este post usando um computador com teclado ingles, logo sem os acentos portugueses. Por esse facto peco desculpa a quem nao gosta de ver pontapes na gramatica.

terça-feira, maio 09, 2006

Mmmééééééééé

Contava-me a minha avó noutro dia ao almoço, sobre mais uma história de separação de um jovem casal lá na terra (ainda não casados mas quase), alegadamente por razões de traição por parte de um dos lados qd o meu avô sai-se com esta:

"Sabes, mataram um carneiro lá em casa, e calhou-lhe a cabeça"

Melhor forma de descrever clara e suscintamente o caso não existe!
A velhice é um posto, e quem sabe, sabe.

Eu a partir de agora não quero mais cabeças pros meus lados.

Outro que tal

Não posso deixar de referenciar, até pq faz parte da nossa estratégia mútua de domínio mundial, o blog do meu companheiro "Português à Solta", blog esse denominado muito originalmente de: Português à Solta.

Mas agora a sério. Se apreciam textos bem escritos, originários de uma mente com uma inteligência e percepção acima da média, não deixem de lá passar e ler os (até agora poucos) posts. De certeza que irão gostar.

O "Português" é um última instância o responsável pelo(s) meu(s) blog(s) terem surgido agora e não mais tarde.

Hummmm, se calhar devia ter sonegado esta informação, pois temo que agora o blog dele seja atacavo por comentários ofensivos e insultuosos por causa da minha pessoa.

Mas... Ide lá, leiam, e aprendam com as experiências deste home que sabe umas coisas.

segunda-feira, maio 08, 2006

Era o vinho meu Deus, era o vinho


era o vinho o que eu mais adorava.
Só por morte meu Deus, só por morte
Só por morte eu o vinho deixava



Esta estrofe (sendo que o título é o primeiro verso) , é o refrão de uma música popular que fazia parte de um livrinho compilado pelo Monsenhor Amilcar, de Paçô da Senhorinha, também chamado de Paçô de S. Mateus, e que ele distribuiu ou vendeu (agora não me alembra correctamente) aquando da inauguração do Centro Cultural e Recreativo Senhorinhense e da Capela de S. Macário, tudo isto na bela e esplendorosa aldeia da Senhorinha. Sim, como parece ser óbvio eu confirmo que a Senhorinha é a "minha" aldeia. Mais tarde falarei dela, da minha infância nela e dos Senho Boys...

Bem, mas falava eu de BINHO! Falava porquê? Porque queria eu dissertar um pouco sobre O Reverso da Medalha (título de uma próxima dissertação) onde iria responder a uns certos comentários que surgiram de algumas pessoas, sobre a minha primeira dissertação sobre a puta ... eh pá, escapou-me esta ... da A13.

Só que, sentado aqui ao computador, no apartamento 204, da City Wall House, em Reading, e estando a beber um, corrijo, uns copitos de vinho tinto, Banrock Station - Shiraz Mataro originário do Sudeste Australiano, a verdade é que a vontade pra escrever sobre um assunto tão melindroso como O Reverso da Medalha, foi-se...

Ora, o Banrock Station - Shiraz Mataro, é o vinho cuja foto adorna esta dissertação, quer dizer este post, pq ainda não tenho a certeza que daqui sairá uma dissertação. O mais certo é que saia uma confusão, pois o BINHO é bom, e a garrafa de 75cl está a chegar ao seu fim.
Por falar em fim, deixa-me escorrer as últimas gotas do seu fundo e compor melhor o meu copo que ja se apresenta quase vazio.

Aqui por Inglaterra, encontra-se até bastante vinho à venda. Em qualquer supermercado encontramos uma boa amostra de vinhos, mas não diferem muito uns dos outros. Temos o corredor divido em brancos de um lado e tintos do outro. As secções são sempre as mesmas, vinhos sul-africanos, australianos e neo-zelandeses, californianos e sul-americanos, franceses, italianos e espanhois. Curiosamente ou não uns poucos vinhos portugueses encontram-se na secção espanhola, mas devida e correctamente identificados (vá lá ao menos!).

Mas falemos mais do Shiraz Mataro, da propriedade Banrock Station. Sim, Shiraz é o tipo de vinho, e Banrock a sua marca/quinta.
Diz o seu rótulo que este Shiraz Mataro de 2004 é um vinho macio e suave com um ligeiro sabor "acerejado" e com um toque de carvalho. Combina bem com pasta, carnes vermelhas e com queijos azuis e maduros... Não me perguntem o que são queijos azuis ou maduros. Ou melhor, perguntem sim, para que eu seja forçado a pesquisar e a encontrar as definições para estas categorias aparentemente estranhas de queijos.

Apesar dos meus melhores esforços pra tentar fugir das castas originárias de França e que são muito usadas nos novos países produtores de vinhos, como o Chile, Australia, Califórnia (Estado dos EUA), castas como o Cabernet Sauvignon e Merlot, a verdade é que o Shiraz é tb mais uma casta de origem francesa muito usada por estes novos "monstros" da produção vinícola.
Tenho aqui exprimentado novos vinhos enquanto aqui estou, e digo-vos que tem sido uma experiência muito positiva. Admito no entanto, e espero não estar a ser chauvinista, que não é necessário levar estes vinhos pra Portugal, temos uma variedade grande e de excelente qualidade que satisfaz quase todos os gostos.

Este vinho só tem uma particularidade curiosa, quer dizer não é o vinho, é a garrafa. Não tem rolha de cortiça, nem sequer daquele composto que existe agora a substituir as rolhas de cortiça. Esta garrafa usa uma tampa de rosca, do mesmo género das garrafas de Whisky ou Martini, mas felizmente sem doseador.

E assim foi. Na vez de fazer a dissertação que estava planeada, acabei por deixar os dedos fluirem pelo teclado do portátil a falar de BINHO e outros assuntos relacionados ao mesmo tema.

Amanha vou mudar de ... vinho. Este já acabou, mas felizmente hoje comprei uma garrafa de Merlot californano, colheita classificada de Vintage. Ainda não exprimentei nenhum californiano, e são muito falados.
Depois deste tenho que ir pra um vinho argentino, que é pra completar o ciclo do novos produtores vinhateiros.

Tchim-tchim...

domingo, maio 07, 2006

Nem sei que título pôr...

Estou desinspirado, ou será que é por estar cansado que as dissertações não me fluem do pensamento? As tantas...

Bem estou aqui sentado ao computador, com a TV a dar o resumo da etapa de hoje do Giro de Italia. Sim, gosto de ciclismo, sobretudo de ver as grandes voltas, o Giro, o Tour e a Vuelta. Esta não é a ordem de preferencia, é pura e simplesmente a ordem delas no calendario anual ciclista, pelo menos é esta a ordem nos ultimos anos.

Bem, estava aqui a pensar que deveria escrever mais uns posts no(s) meu(s) blog(s). Bem, num é facil, os posts já estão escritos é só rever alguns erros e corrigir o formato pra aparecerem "bem" no blog. Mas escrever aqui pras "Dissertações" é mais tramado. Quer dizer, escrever não é tramado, é só pensar num assunto, e começar pra aqui...

...
...
...

eh pá, peço imensa desculpa, mas o meu irmão telefonou-me, estive a falar com ele uns minutos largos e agora perdi o fio à meada.

Ora do que falava eu... Ah! Falava do fazer uma dissertação digna de vós, meus fiéis leitores.

Bem resumindo, escrever não é tramado, é só pensar num assunto, e começar pra aqui a dar ao dedo, as ideias vão fluindo, e a dissertação nasce.

O meu maior problema é que eu mentalmente já criei umas dissertações dignas de aparecerem na revista Visão e outros mais internacionais, aliás é preciso pensar em grande. A revista Focus, e um artigo feito pra revista mãe, pra aparecer nos paises todos. E como estava a dizer, já pensei nalgumas dissertações, mas verdade seja dita, não estou inspirado pra pegar nas ideias chaves e desenvolver a dissertação, por isso, sai isto...

Estou pra aqui a escrever umas porcarias, mas ao menos serve pra encher o blog, e quiça, se for muito má, fará com que apareçam alguns comentários menos abonatorios, mas mais vale maus comentários do que nenhuns comentários!

Aproveitava só pra vos dizer que eu estou em Inglaterra, mas apesar de ter as crónicas do Japão, não esperem pelas crónicas de Inglaterra, pq não tenho apontado nada das minhas vivencias por aqui.
Apenas vos queria dizer que estou em Inglaterra, pq um "post" destes, vai aparecer uma dissertação sobre coisas daqui, e sobretudo tb pq aqui não tenho o diccionário de Português instalado no Word, o que faz com alguns erros, sobretudo de acentuação populem pelos meus posts.
Ora eu já esqueci muito das regras de acentuação e gramaticais do nosso Português, por isso recorro sempre a essa ferramentas de correcção ortográficas, que nos são tão preciosas para darmos uma de gajos inteligentes que até sabem escrever sem erros...

Pra já, e enquanto não resolvo essa questão técnica do dicionário do Word, alguns erros continuarão a passar em claro.

Deixem-me só falar de um lugar-comum (acho que não estou a cometer um erro ao usar este termo, mas às tantas...).
Costuma-se dizer que o mundo é pequeno, e a verdade é que frequentemente nos acontecem certos e determinados episódios que provam exactamente isso.
Ora ontem, houve aqui um jantar em Reading (a cidade onde estou, famosa sobretudo pelo seu festival de música) de Portugueses, todos ligados por um passado comum na NEC. Acontece que o nosso amigo Zé Pequeno (Dadinho é o car...lho, meu nome agora é Zé Pequeno, porra!), ia receber uma amiga que vinha de Portugal precisamente ontem. Ora qd ele chegou ao restaurante, descobri que a amiga do Zé era afinal uma ex-colega minha do 7º ano que tb conhecia outro dos presentes no jantar! Claro que o pensamento que nos veio a cabeça foi "Como o mundo é pequeno".

E prontos, foi só uma pikena dissertação, que é mesmo muito fraquinha.

Estou mesmo sem inspiração, acho que tenho de ir dormir, e "dissertar" noutros dias.

sexta-feira, maio 05, 2006

O outro blog


Bem, tenho que admitir que agora não vou escrever nenhuma dissertação. Muito simplesmente vou fazer publicidade ao outro blog da minha autoria.
Sim é verdade, comecei agora mesmo nesta coisa dos blogs, mas como tenho a mania que sou mais que os outros, criei logo 2 de uma só assentada.
Mesmo assim ainda tenho que muito trabalhar pra apanhar esse "monstro" dos blogs, Pacheco Pareira.

Bem, e eu disse que não ia dissertar e já cá estou a dar asas ao intelecto e pensamento dissertativo que abunda na minha grande cabeça (sim é verdade, sou um gajo cabeçudo).

Bem, de volta ao cerne (não cherne) da questão.

Não se esqueçam de dar uma vista de olhos por Japan Meets BaKano (tb está nos Link aqui mesmo ao lado) um blog diferente deste e cujo conteúdo já é conhecido por alguns. Aliás, é por causa deles, dos meus inúmeros fâs (digo inúmeros pq não sei qts são, mas talvez chegue à meia-dúzia) que o blog apareceu, pq me pediram para publicar as minhas histórias, e como sou um gajo altruísta, acho que vcs teem o direito de lerem as mesmas sem terem que pagar por elas (isso e tb pq nenhum editor quis publicar as minhas histórias)

Portantos... Deem la um salto, e fiquem agarrados, que as crónicas vão surgir diariamente...

A A13, a p...ta da A13

10 kilometros a sul de Santarem, no enfiamento do que é chamado de IC10 e depois de passar a ponte Salgueiro Maia sobre o Tejo, eis que surge a A13.
A A13 é uma auto-estrada da Brisa que é previsto fazer a ligacao entre a A2 e a A1 pelo sitio mais directo que pode haver, permitindo uma ligação Norte-Sul sempre por auto-estrada sem ter que passar pela capital, coisa que pra gente do Norte, é capaz de ser bem-vinda.
Mas nao será só isso, permite ganhar minutos e poupar kms, ja nos euros tenho algumas duvidas que se poupe alguma coisa.
Mas a verdade é que a A13 ainda não esta concluida, pelo menos seguindo o plano original, e por isso actualmente ela começa nos tais 10 kms a sul de Santarem.

E assim, ela nasce, e estende-se nos seus gloriosos 74 kms do mais plano e rectilíneo que conheço.

A A13 é uma auto-estrada que uso com regularidade, dado serem tb regulares as minhas idas ao Algarve. E como recentemente la passei, e enquanto la passava, esta dissertação sobre a propria nascia na minha cabeca.

A A13 resume-se a isto, uma ganda SECA! Tal como disse, são 74 kms do mais plano e rectilíneo que existe em Portugal. As rectas de 5 kms são cortadas por curvas com um angulo (ou sera arco?!) de 5 a 10 graus, não mais que isso, o que na pratica é o mesmo que uma recta! E junta-se a isto o plano. Praticamente não se sobe nem se desce. É impressionante! A propria paisagem, pra compor o ramalhete, é extraordinariamente enfadonha. O proprio Alentejo interior que me parecia ser monotono é refrescante qd comparado com esta paisagem semi-ribatejana/semi-alentejana.

Obviamente que mais alguma peças compõem o puzle. A A13 tem pouco transito, muito pouco mesmo, normalmente ultrapasso 1 camião mais um ou outro carro, e sou ultrapassado por não mais que 2 durante os 74 kms que dura ir de uma ponta a outra. E não temos nenhuma estação de serviço a meio, que pelo menos é uma quebra da longa recta de asfalto!

Neste fds que passou, ia pela A13, depois da hora de almoco do Domingo, com calor, na estrada deserta. Enquanto fazia a estrada começava a entender o pq de alguns americanos sairem do lugar do condutor das suas auto-caravanas e irem preparar uns ovos mexidos e umas salsichas enquanto percorrem as highways (escusado será dizer que estes comportamentos geram acidentes, e não, não estou a falar de ovos e de salsichas queimadas)! É que eu ainda só vou ha 10 minutos na A13 e ja apetece fazer algo do genero... E são só 74 kms, imaginem fazer centenas de kms do mesmo...

A A13 é a auto-estrada ideal pra se ir bater recordes de velocidade, pelo menos bater os nossos recordes, ou os recordes do veiculo que estamos a usar. Por varias razões: tem excelente piso e longas rectas planas; tem pouco transito; ir depressa é uma das maneiras de um gajo não morrer de tedio; e finalmente muito dificilmente seremos interpelados por carros da BT. É que nem os agentes da ordem das estradas têm paciencia pra irem pra aquela estrada!

E como é que eu faço a A13, perguntam vcs? Uso a outra alternativa que existe, ligo o Cruise-Control do carro, a 140km/h e deixo-me ir nas calmas curtindo um som porreiro e pensando em dissertar sobre algo.

Eu costumava pensar que a A2 era uma auto-estrada “chata” pelas mesmas razões que ja apontei, mas isso era pq não conhecia a A13 que leva o termo de “auto-estrada chata” para um outro nível até agora desconhecido.

Foi tb agora usando a A13 que percebi uma vez um comentario de um algarvio, que tal como eu, era adepto do tuning e possuia um Honda Civic CRX ou VTI alterado. Dizia ele uma vez que as vezes passava na A2 a velocidades na ordem dos 230 km/h de média e que ficava a suar passada meia-hora. Eu na altura sempre pensei que isso acontecia pq ele ia pra lá naquelas noites quentes de verão com o ar-condicionado desligado (pra poupar cavalos) e obviamente ao fim de algum tempo, estava com o habitaculo em brasa. Mas agora ja percebi o pq! É que agora qd vou na A13 tb ao fim de alguns minutos ja estou a suar, tal a ansiedade que acabe aquele suplicio de estrada.

Curiosamente parece que descobri um antídoto. O album “Big Ones” (que belo nome a fazer lembrar outras coisas grandes) dos Aerosmith parece fazer encurtar a A13, pelo menos foi isso que aconteceu qd vim pra cima, pois a A13 passou num instante. Ou sera que foi pq fartei-me do Cruise-Control e acabei por carregar no pedal? As tantas...

Nota do autor: Se vcs chegaram aqui devem estar a pensar que perderam alguma coisa neste blog. Pq caracas é que o primeiro post que aparece é este que surge do nada?! A resposta é simples:
Pq me apetece!
Eu disserto sobre o que quero, qd quero e onde quero! Querem que eu apresente o BaKano às massas? Esperem... Caso gostem da serie “Lost” ja estão habituados a verem coisas acontecer e mais tarde serem explicadas. Pois aqui irão ter um tratamento do genero. Esperem e serão recompensados...